A Ortodontia Invisível como primeira opção

A Ortodontia Invisível como primeira opção

Problemas dentários estéticos e transtornos funcionais e/ou esqueléticos nos maxilares são as principais razões que levam os pacientes a procurar um especialista em Ortodontia. Neste contexto, o mais habitual é relacionar os tratamentos ortodônticos com a estética dentária e aí a ortodontia invisível ganha uma enorme importância.

Quando se procura um tratamento por razões estéticas, um dos principais motivos para a não realização de um tratamento ortodôntico reside no uso de aparelhos ortodônticos visíveis. Esse problema redimensiona-se, quando o paciente é adulto e é obrigado a transportar na boca um aparelho para múltiplas situações sociais/profissionais. Ora, hoje, estes constrangimentos deixaram de fazer sentido, porque poderão facilmente neutralizados, se se fizer outra opção. 

Agora, o paciente já pode realizar o seu tratamento de Ortodontia sem que isso seja visível para as demais pessoas. Centrando-me na minha prática clínica, constato que a prescrição de aparelhos ortodônticos invisíveis assume-se como primeira opção, principalmente no tratamento de adultos. Vivendo hoje em ambientes tecnológicos em contínuo desenvolvimento, será decerto anacrónico usar um aparelho dentário por fora da boca, cinzento e cheio de arames.

Para que as pessoas saibam quais as opções disponíveis quando pensam em colocar um aparelho invisível, estas dividem-se nos aparelhos linguais ou nos alinhadores transparentes.

Na Ortodontia lingual, o aparelho é colocado na face interna dos dentes, não se vendo qualquer dispositivo por fora da boca; na Ortodontia com alinhadores procede-se à colocação de placas finas transparentes que se vão trocando à medida que os dentes se vão movendo. Sublinhe-se que este tipo de tratamentos só pode ser realizado por um profissional com formação especializada, devendo estar devidamente certificado para a utilização deste género de tratamento invisível. Por outro lado, este tipo de aparelhos exige do especialista em Ortodontia uma curva de aprendizagem elevada, sendo a experiencia do profissional neste género de aparelhos importante para o sucesso do tratamento.

Falemos de uma questão que não será certamente despicienda: o preço. Sendo mais complexos, envolvendo mais tecnologia, apresentando outra eficiência, exigindo mais formação profissional e mais tempo de consulta, estes aparelhos são mais caros do que os aparelhos convencionais. Não será isso uma surpresa para ninguém. Contudo, esse custo acrescido é bem justificado pela previsibilidade de resultados, comodidade de utilização, motivação pelo tratamento e, principalmente, pela estética que proporcionam. Por estas razões, os pacientes estão progressivamente a preferir esta solução. Que será, decerto, uma opção de futuro.